Resultados da busca

10 itens encontrados

Páginas (7)

  • Carenet Longevity l UTI Conectada e Inovação da Saúde | Brasil

    Seu hospital ainda faz o registro de sinais vitais dos pacientes na UTI manualmente?! Elimine processos repetitivos e demorados, reduzindo a chance de erro humano e o risco de infecção cruzada . Orchestra oferece 6 módulos que integram equipamentos e sistemas hospitalares para máxima eficiência. Quero automatizar a coleta de dados você ainda registra sinais vitais manualmente? Desenvolvemos soluções para monitorar pacientes remotamente, dentro e fora do ambiente clínico-hospitalar, para as maiores empresas do Brasil. Há 7 anos a Carenet realiza pesquisa e desenvolvimento de tecnologia para a saúde. Trabalhamos com wearables, sensores e algoritmos sofisticados para capturar e gerenciar dados criteriosos para o acompanhamento de pacientes de todas as idades, de forma local ou remota, otimizando os processos hospitalares, diminuindo erros, aumentando a segurança, a eficiência, e reduzindo a exaustão do corpo clínico. Sobre a Carenet Orchestra Plataforma exclusiva de interoperabilidade, conectando equipamentos da UTI ou CC com prontuários e outros sistemas A plataforma Orchestra oferece aos clientes uma solução inovadora para sua transformação digital na saúde aplicada à terapia intensiva e cirúrgica com foco no monitoramento remoto de pacientes e fornecendo a plataforma para um centro de comando clínico centralizado. Sobre o Orchestra BENEFÍCIOS ORCHESTRA economia de tempo 33% Aumento da eficiência e segurança automatizando processos, redução de custos e mitigação do risco de burnout entre colaboradores. DESTAQUE NO ECOSSISTEMA de saúde contato Alameda dos Maracatins, 426, Sala 601, Moema, São Paulo contato@carenet.com.br (11) 98818-0686

  • Agende uma Reunião Online | Carenet | Brasil

    agende uma conversa Nossos especialistas estão disponíveis auxiliar o seu corpo clínico e cuidar dos seus pacientes, aumentando a eficiência e segurança do seu hospital. nos acompanhe nas redes sociais

  • Módulos Orchestra da Carenet

    Orchestra sincroniza 5 módulos de integração para que nenhuma informação seja perdida, deixando seu hospital mais seguro e eficiente. Demonstração novo módulo Além da UTI, monitore e ofereça mais cuidado e segurança para seus pacientes em ambientes cirúrgicos e de procedimentos. Surgery Monitor Todos os sinais vitais do paciente em uma única tela, com alarmes e alertas visuais acessíveis remotamente. Air Compatível com todos os equipamentos, realiza a interoperabilidade e cooperação de sistemas Infusion Compatível com todos os equipamentos, realiza a interoperabilidade e cooperação de sistemas System Compatível com todos os equipamentos, realiza a interoperabilidade e cooperação de sistemas Módulo monitor Apresenta ao intensivista de maneira intuitiva e clara os sinais vitais do paciente, através de painéis com alarmes, alertas visuais, gráficos ilustrativos e dados históricos. Todos os dados são apresentados de forma organizada, com panorama geral dos leitos e visão individualizada, evitando sobrecarga visual. O módulo implementa automatizações de processos que tomam até 30% do tempo do corpo clínico, reduzindo risco de burnout e aumentando a eficiência da equipe, o foco se volta ao paciente ao invés da transcrição e cópia de dados dos sistemas. Módulo air Auxilia intensivistas e fisioterapeutas para que se ocupem da terapia ventilatória de forna segura e oferece apresentação remota de todos os dados do paciente. Pacientes com patologias respiratórias necessitam do uso da ventilação (invasiva ou não invasiva). Os ventiladores por sua vez, embora sejam essenciais no acompanhamento dos procedimentos ventilatórios, não dispõem de apresentação remota para monitorar o progresso do tratamento. Para doenças infecto contagiosas como a Covid-19, o uso do Orchestra Air pode significar reduções drásticas do percentual de infecção do time de intensivistas, possibilitando o monitoramento dos pacientes remotamente, com alarmes visuais e sonoros para intercorrências, enquanto todos os dados são registrados automaticamente pelo sistema, com envios periódicos ao prontuário. Saiba Mais hospital do futuro Descubra os segredos de um Webinar, dia 15 de setembro Das 17h30 às 20h30 Quero me inscrever Módulo infusion Automatiza o registro da administração de substâncias feita por cada bomba, eliminando possíveis erros humanos na saúde. Rotineiramente os intensivistas acabam necessitando realizar o registro de quais substâncias estão sendo administradas em cada bomba, e para isso recorrem a processos de cópia manual. Os procedimentos manuais, além de cansativos e repetitivos, aumentam o risco de erros de rotulação de substâncias e registro de dados. O módulo Infusion capta os dados das bombas de infusão e mantém todos os indicadores, alertas e alarmes do sistema em telas que podem ser acessadas à distância por enfermeiros, supervisores, médicos e outros especialistas, por fim, todos os dados obtidos são enviados periodiamente para o prontuário eletrônico do paciente. Módulo system Realiza a comunicação e compartilhamento de informações vitais para a orquestração de dados do paciente. Atualmente existem dezenas de sistemas médicos instalados nos hospitais e demais unidades de atendimento. O sistema Orchestra foi concebido para ser aberto, interoperável e cooperativo, se tornando ponte entre vários outros sistemas hospitalares simultaneamente. O módulo System garante a compatibilidade direta e reversa com os principais sistemas HIS do mercado. De maneira contínua, a Carenet tem feito parcerias e alianças entre os sistemas de mercado, garantindo que todos os dados coletados pelos módulos anteriores sejam apresentados aos outros sistemas numa matriz de pertinência que visa oferecer um quadro clínico completo do paciente aos intensivistas. Módulo surgery Monitoramento de sinais vitais e anestesia para cirurgia segura. Um dos ambientes mais críticos do hospital, o centro cirúrgico, não pode depender apenas de registros manuais, para isso, o Orchestra Surgery integra todos os equipamentos de monitoramento, o carrinho de anestesia, e a plataforma Anestech , oferecendo e registrando dados em tempo real do paciente em operação e enviando ao sistema de gestão hospitalar.

Ver todos

Posts do blog (3)

  • Tansformação Digital Hospitalar

    Como preparar seu hospital para a transformação digital na saúde, 5 passos para um hospital integrado, automatizado e preparado para a saúde do futuro. Ah a tecnologia, um mar de inovação pronto para ser explorado, mas são tantas as possibilidades que fica fácil se perder. As dicas abaixo não são regras, mas sim, uma bússola para você iniciar o processo de transformação digital no seu hospital. Dica n.º 1 - conectividade é a melhor infraestrutura O primeiro passo para entrar no mundo digital, é estar conectado à internet, parece óbvio e muito simples, mas é preciso tomar alguns cuidados, por se tratar de um ambiente de risco é ideal ter uma conexão segura ou Rede Privada Virtual - VPN, que criptografa e mantém a a rede e todos os dados ligados à ela em segurança. Também é crucial que a rede de internet alcance todos os ambientes do hospital, uma boa equipe de TI pode ajudar, mas tenha em mente que a estrutura do hospital é fator determinante na distribuição desta rede, prédios muito antigos podem precisar de roteadores Wi-Fi, enquanto prédios mais novos podem optar por cabos nas principais áreas. Dica n.º 2 - mapeando processos Encontre os pontos de atenção do seu hospital, verifique áreas com processos demorados que poderiam ser automatizados, ciclos viciosos, e procedimentos de alto risco que exigem máxima atenção. Um bom exemplo é a coleta de dados à beira leito, um processo demorado, repetitivo e numa área que exige máxima atenção, e que pode facilmente ser substituída pela plataforma Orchestra que automatiza em 100% este registro, além de enviar os dados diretamente para o prontuário eletrônico. Liste todos os pontos que encontrar por ordem de prioridade, leve em conta fatores como economia, eficiência e segurança do paciente, em contrapartida é importante verificar as etapas necessárias para corrigir o problema encontrado ou otimizar o processo identificado, como por exemplo, a instalação de uma rede de internet mais segura, aquisição de computadores, entre outros. Dica n.º 3 - moderno não quer dizer novo Ao pensar em transformação digital a primeira coisa que pensamos é "quanto isso vai custar?", mas fique tranquilo, o mais moderno nem sempre é o mais novo, são raras vezes em que será necessário trocar os equipamentos ou a rede de internet para se adaptar à digitalização, antes de se desesperar ou optar por substituir tudo o que já usa no seu hospital e que o seu corpo clínico está habituado, leve em conta os fatores a seguir: Pode se conectar à internet, seja via cabo ou wireless? Funciona plenamente, sem apresentar falhas no sistema ou no equipamento? É escalável, ou seja, posso fazer um upgrade sempre que necessário? Se sua resposta para as perguntas acima foi sim, significa que os sistemas e equipamentos que utiliza atendem os principais fatores para a digitalização, mas se você respondeu não para alguma das perguntas dê uma olhada na dica nº4 antes de tomar uma decisão definitiva. Dica n.º 4 - peça ajuda aos universitários Já sabemos por onde começar, já sabemos o que precisamos fazer, e o que não devemos fazer, mas e agora, como fazer? Startups e Health Techs trabalham dia após dia para criar novas soluções e tecnologias para a saúde, mas existem centenas delas e é importante ter um norte, evitando assim gastos desalinhados com os objetivos, então pegue o mapa que montou com a dica nº 2 e é hora de pesquisar, encontre empresas que ofereçam as soluções para os problemas e necessidades que listou, a boa notícia é que muitas delas trabalham de maneira integrada, assim ao contratar uma solução, provavelmente você receberá instruções claras sobre os próximos passos e quem pode te ajudar com eles. Se seu hospital conta com uma equipe de TI reduzida, ou se você não tem afinidade com tecnologia o ideal é procurar uma consultoria, isto com certeza vai reduzir o tempo e direcionar as decisões de maneira certeira, mas nem sempre é a opção mais econômica, vale a pena fazer uma boa pesquisa de mercado e contar com uma segunda opinião. Precisa de ajuda com sua pesquisa? A Carenet fez uma pesquisa de empresas com as soluções mais procuradas pelos hospitais referência em saúde e eficiência, e a lista está na dica bônus. Dica n.º 5 - hospital integrado, equipe integrada De nada adianta um hospital com os melhores equipamentos e sistemas se sua equipe não estiver pronta para atuar com essas soluções. Invista em treinamento, incentive a interação com ferramentas tecnológicas e implemente processos virtuosos, sua equipe com certeza vai preferir utilizar ferramentas que automatizam processos a realizar tudo manualmente, mas para quebrar um ciclo vicioso exige tempo e dedicação. A maioria das Startups e Health Techs oferecem junto aos serviços e produtos, um treinamento, vale a pena dispor de um curto tempo do seu time para garantir que tudo seja utilizado da melhor maneira possível. Questione sobre plataformas de aprendizagem, manuais, canais de atendimento e familiarize sua equipe com os meios apresentados para que tirem suas dúvidas. dica bônus Como prometido, abaixo há uma lista das soluções mais buscadas por hospitais referência em saúde e eficiência e empresas que oferecem serviços e produtos correspondentes. Soluções e Health Techs envolvidas diretamente com a transformação digital na saúde: Agora que você já sabe por onde começar, faça parte da transformação digital na saúde, participe do Webinar Hospital do Futuro e tire todas as suas dúvidas sobre tecnologia na saúde.

  • Tecnologia Contra Violência Médica

    A tecnologia deixou de ser opção para a saúde e se tornou necessidade, atuando principalmente com a maior riqueza da atualidade, dados, que podem e devem ser utilizados para reduzir a negligência e a violência médica. Na segunda feira de 11 de julho a área da saúde recebe a pior notícia possível, um caso de abuso relacionado à violência médica, num momento tão delicado e importante, o momento do parto, onde se tem responsabilidade sobre mais de uma vida, então surge a reflexão, como evitar casos como este? Além de ética, protocolos e legislação eficaz, é preciso garantir que casos de abuso, crimes em ambiente hospitalar, sejam completamente evitados. É uma tarefa árdua e praticamente impossível monitorar todos os ambientes e todos os profissionais de um hospital o tempo todo e a todo momento, e para isso, a saúde tem a tecnologia como aliada, garantindo a segurança e o cuidado aplicado a cada paciente. Graças a competência de enfermeiros e técnicos de enfermagem, foi possível identificar o alto nível de sedativo na paciente no caso ocorrido, porém, a saúde já dispõe de ferramentas capazes de antecipar tal ocorrido, com sistemas de monitoramento contínuo como o Orchestra e a Anestech, capazes de identificar, comprovar, registrar e alertar todos os profissionais envolvidos, até mesmo antecipando negligências e crimes, como foi o caso. O cenário ideal para evitar tal atrocidade poderia contar com soluções tecnológicas de monitoramento e processamento de dados. Ao passo que cada ambiente hospitalar se mantém em isolamento absoluto, corre-se o risco de não haver a devida atenção a informações como o excesso de medicamento a tempo de prevenir a violência e a negligência. Dispositivos de monitoramento contínuo tornam-se ineficazes sem o devido registro e integração com demais ambientes hospitalares, para que todos os profissionais envolvidos possam intervir e tomar decisões com tempo hábil mediante alertas inteligentes. Diante de tamanha evolução tecnológica, a saúde não pode mais contar apenas com registros manuais e acompanhamento intermitente, não apenas em centros cirúrgicos, mas em todo o ambiente hospitalar.

  • Automação da Coleta de Sinais Vitais

    Interpretar sinais vitais é apenas uma das habilidades dos profissionais de saúde, mas analisar dados não é sinônimo de anotar dados. A tecnologia dispõe atualmente de ferramentas que realizam a automação da coleta de dados de forma automática e em tempo real. Todo profissional da saúde sabe da importância da coleta de sinais vitais para a segurança do paciente, tanto para registro no prontuário quanto para a decisão clínica, mas este processo demanda tempo, e em áreas críticas como UTIs e Centros - Cirúrgicos cada segundo a mais pode definir a expectativa de vida do paciente. Já há algum tempo os hospitais vêm utilizando processos que acelerem esta coleta de dados, como o uso de tablets para registro, visitas periódicas aos leitos e prontuários eletrônicos, mas devemos levar em conta a quantidade de dados que deve ser anotado multiplicada pela quantidade de pacientes. Os dados que são obrigatoriamente registrados (considerando um ambiente de terapia intensiva) são: Pressão arterial sistólica Pressão arterial diastólica Pressão arterial média Frequência cardíaca Frequência respiratória Saturação de oxigênio Temperatura Pode parecer pouca coisa a se anotar, mas este registro é feito em média, a cada 2 horas, o dia todo, o tempo dedicado a esta atividade pode reduzir exponencialmente a eficiência do hospital, e os profissionais responsáveis precisam ainda se dividir entre tarefas assistenciais e emergências. Então como resolver? Como fazer os dados migrarem magicamente dos equipamentos para o prontuário do paciente? Graças à tecnologia isto já é possível, utilizando plataformas de integração e automação da coleta de dados, como o Orchestra, que captura os dados diretamente de todos os equipamentos, como monitores multiparamétricos, bombas infusoras e ventiladores mecânicos e envia para o prontuário eletrônico em um período pré-estabelecido pelo hospital, os dados são registrados em tempo real e sem intervenção humana, evitando negligência médica. Existem ainda softwares das próprias fabricantes de equipamentos que realizam a integração com o prontuário eletrônico, mas neste caso é necessário contratar a plataforma correspondente a cada equipamento utilizado, o que não é um problema quando o hospital dispõe de um parque homogêneo de equipamentos, porém, em áreas com grande número de equipamentos de diversas marcas, o custo de contratar uma plataforma para cada marca pode se tornar inviável. Agora que você já sabe como fazer a captura automatizada dos dados é preciso preparar o seu hospital para os sistemas disponíveis, comece configurando uma rede de internet segura, pode ser por meio de cabos ou via wi-fi, o importante é que seja estável e esteja disponível em todas as áreas, e então é só solicitar a plataforma e começar a aproveitar a automação.

Ver todos