top of page
  • nathaliapaganin8

Estratégias Técnicas para Implementação da Interoperabilidade Hospitalar

A digitalização no ambiente hospitalar pode parecer uma tarefa complexa devido à diversidade de sistemas, equipamentos e à necessidade de manter a integridade dos dados e a segurança dos pacientes. No entanto, a interoperabilidade – a capacidade dos sistemas e dispositivos de se comunicarem e funcionarem juntos de forma eficiente – pode facilitar essa transição. Este artigo fornece uma abordagem prática para engenheiros clínicos e profissionais de TI sobre como implementar a interoperabilidade em seu hospital.

O QUE É A INTEROPERABILIDADE NA PRÁTICA?

Interoperabilidade é a habilidade de diferentes sistemas, dispositivos e aplicações se conectarem e trocarem informações de forma coordenada, utilizando padrões e protocolos comuns. Em um hospital, isso significa que desde os registros eletrônicos de saúde (EHR) até os dispositivos de monitoração à beira do leito podem se comunicar sem barreiras, garantindo que todas as partes envolvidas tenham acesso às informações corretas no momento certo.


BENEFÍCIOS TÉNICOS DA INTEROPERABILIDADE

INTEGRAÇÃO DE DADOS

A interoperabilidade permite a integração de dados provenientes de diferentes sistemas e dispositivos, criando uma visão consolidada e completa do paciente. Isso melhora a precisão dos diagnósticos e a eficácia dos tratamentos.

AUTOMAÇÃO DE PROCESSOS

MONITORAMENTO EM TEMPO REAL

ESCALABILIDADE

MELHORIA NA SEGURANÇA DE DADOS


COMO IMPLEMENTAR A INTEROPERABILIDADE


1. AVALIAÇÃO INICIAL E PLANEJAMENTO


A. IDENTIFICAÇÃO DAS NECESSIDADES E OBJETIVOS

Realize uma análise detalhada das necessidades com base nos gargalos de comunicação de dados do hospital e defina objetivos claros: melhorar a eficiência do fluxo de trabalho, aumentar a segurança do paciente, etc.


B. ENVOLVIMENTO DAS PARTES INTERESSADAS

inclua desde o início os principais stakeholders, como médicos, enfermeiros, administradores e equipe de TI.



2. ESCOLHA DOS SISTEMAS E PADRÕES


A. ADOÇÃO DE PADRÕES ABERTOS

Opte por padrões amplamente aceitos como HL7, FHIR, DICOM e IHE, que facilitam a troca de informações entre diferentes sistemas.


B. SELEÇÃO DE FORNECEDORES COMPATÍVEIS OU AGNÓSTICOS

Escolha fornecedores que suportem esses padrões e tenham uma boa reputação em interoperabilidade.



3. INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS


A. IMPLEMENTAÇÃO DE INTERFACES

Desenvolva ou adquira interfaces que permitam a comunicação entre os diferentes sistemas. Utilize APIs (Application Programming Interfaces) para facilitar essa integração.


B. TESTES DE INTEGRAÇÃO

Realize testes exaustivos para garantir que os sistemas se comuniquem corretamente e que os dados sejam transmitidos com precisão e segurança.



4. SEGURANÇA E CONFORMIDADE


A. PROTEÇÃO DE DADOS

Implemente medidas de segurança robustas para proteger os dados dos pacientes, como criptografia e controles de acesso, ou opte por soluções que já contam nativamente com tais medidas.


B. CONFOMIDADE REGULATÓRIA

Realize testes exaustivos para garantir que os sistemas se comuniquem corretamente e que os dados sejam transmitidos com precisão e segurança.



5. TREINAMENTO E SUPORTE


A. CAPACITAÇÃO DA EQUIPE

Proporcione treinamento adequado para que todos os usuários saibam como utilizar os novos sistemas e entender as mudanças nos processos.


B. SUPORTE CONTÍNUO

Disponibilize suporte contínuo para resolver problemas e garantir que a interoperabilidade se mantenha efetiva ao longo do tempo.




6. MONITORAMENTO E MELHORIA CONTÍNUA


A. ACOMPANHAMENTO DE DESEMPENHO

Monitore o desempenho dos sistemas integrados para identificar possíveis falhas e oportunidades de melhoria.


B. FEEDBACK REGULAR

Colete feedback dos usuários regularmente para ajustar e otimizar os processos conforme necessário.

 

A digitalização hospitalar, por meio da interoperabilidade, não precisa ser excessivamente complexa. Com planejamento cuidadoso, escolha de padrões e sistemas adequados, e um enfoque na segurança e conformidade, é possível transformar a operação do hospital, melhorando a qualidade do atendimento e a eficiência dos processos. Engenheiros clínicos e profissionais de TI desempenham um papel crucial nesse processo, sendo os facilitadores dessa transformação digital que, em última análise, beneficiará pacientes, profissionais de saúde e a instituição como um todo.

Implementar a interoperabilidade é um investimento estratégico que pode trazer benefícios significativos e duradouros para o seu hospital.




5 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Automação para uma Saúde Baseada em Valor

A automação não é meramente uma tendência tecnológica, ela se revela como um elemento essencial para a transformação profunda e sustentada dos sistemas de saúde. Para gestores hospitalares, a busca po

Desvendando Custos Hospitalares Ocultos

Uma Visão Estratégica para Aumento da Eficiência em Áreas Críticas Hospitalares por Meio da Interoperabilidade Quando falamos sobre a gestão de um hospital, muitas vezes nos concentramos nos aspectos

Comentários


bottom of page