top of page
  • nathaliapaganin8

Panorama da Digitalização Hospitalar

Atualizado: há 5 dias

INTEROPERABILIDADE É O CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO DIGITAL


Em um mundo onde a tecnologia redefine a saúde, o Brasil se depara com o desafio da digitalização hospitalar. A Estratégia de Saúde Digital 2020-2028 impulsiona essa transformação, visando a integração de sistemas e uma gestão de dados eficiente. Contudo, obstáculos como a falta de padronização e a lentidão na adoção tecnológica ameaçam a eficácia dessas iniciativas, especialmente em áreas críticas como UTIs.


A revolução da interoperabilidade


É nesse contexto desafiador que a interoperabilidade surge como uma solução crucial. Essa capacidade de compartilhar e usar informações entre diferentes sistemas e dispositivos de saúde é fundamental para a eficiência operacional e a qualidade do atendimento ao paciente.


Imagine um hospital onde todos os dispositivos se comunicam harmoniosamente, compartilhando informações em tempo real e criando um ecossistema digital unificado. Essa visão está ao nosso alcance graças à tecnologia de interoperabilidade, liderada por soluções agnósticas, multiplataformas e multimarcas, que oferecem uma abordagem flexível e eficiente para a troca de dados de saúde. Para a engenharia clínica, essa solução não só simplifica as operações diárias, mas também reduz custos e prolonga a vida útil dos sistemas existentes. Ao permitir uma comunicação fluida entre dispositivos, a interoperabilidade total representa uma alternativa viável para enfrentar os desafios da fragmentação da informação no âmbito hospitalar.


Superando os desafios de adoção da interoperabilidade

No passado os hospitais enfrentaram uma série de desafios operacionais e financeiros na adoção da interoperabilidade. A maioria das soluções era local, dependendo de uma rede cabeada e limitada a protocolos modernos de comunicação, presentes apenas nos equipamentos e sistemas mais recentes. Essa abordagem demandava tempo e recursos das equipes técnicas, criando também uma barreira de adoção entre as equipes assistenciais devido à complexidade das soluções.


O novo modelo de interoperabilidade total, ao contrário do anterior, que exigia uma revisão completa da infraestrutura existente, se adapta aos sistemas e dispositivos já em uso, eliminando a necessidade de reformulação. Baseada em nuvem, esta nova abordagem oferece uma adoção escalável e de fácil implementação, inclusive remotamente. Por ser mais flexível e compatível, a interoperabilidade total permite uma integração suave dos sistemas hospitalares, reduzindo os transtornos operacionais e os custos associados.


As soluções de interoperabilidade total são projetadas para serem intuitivas e de fácil utilização, diminuindo a resistência à mudança e acelerando a adoção por parte dos profissionais de saúde. Dessa forma, enquanto os hospitais enfrentaram dificuldades no passado, o novo cenário apresenta evidências promissoras.


Tecnologias que transformam 


Plataformas de integração

Soluções modernas estão surgindo para atuar como intermediárias entre dispositivos distintos, garantindo que a comunicação seja fluida e sem interrupções. 

APIs de Saúde

IoMT


Aplicações práticas da interoperabilidade na saúde A integração de sistemas e dispositivos médicos permite que profissionais de saúde acessem instantaneamente informações clínicas cruciais, desde históricos de pacientes até resultados de exames, independentemente do ponto de atendimento. Isso não apenas agiliza a tomada de decisões clínicas, mas também promove uma coordenação mais eficaz do cuidado entre diferentes especialidades e unidades de saúde, garantindo um tratamento personalizado para o paciente.


Além disso, a interoperabilidade simplifica a automação de processos clínicos e administrativos, reduzindo a carga de trabalho manual dos profissionais de saúde e aumentando a eficiência operacional dos hospitais. Com sistemas integrados de gestão hospitalar e registros médicos eletrônicos, tarefas como reconciliação de medicamentos, geração de relatórios e faturamento de serviços podem ser realizadas de forma mais rápida e precisa. Essa automatização não apenas otimiza os fluxos de trabalho internos, mas também melhora a experiência do paciente, garantindo um atendimento mais ágil e eficiente em todas as etapas do processo de cuidado.


 

O Próximo Passo: Sua Jornada Digital Começa Aqui 


Se você está se perguntando “Como posso começar a digitalizar meu hospital?”, a resposta é simples: comece com um parceiro que entenda as nuances da interoperabilidade, permitindo que seu hospital esteja pronto para acompanhar a evolução tecnológica hospitalar. 


A chave para a integração bem-sucedida de equipamentos hospitalares reside na construção de pontes digitais que conectam as ilhas tecnológicas. Com tecnologias que permitam a integração independente dos protocolos, tipos de equipamentos e fabricantes, superando as barreiras existentes com consultoria para a construção da infraestrutura, e criando um ambiente de saúde verdadeiramente integrado. 


Estes pontos, aliados a uma plataforma de centralização dos dados, você certamente estará apto para navegar neste terreno complexo e garantir que seu hospital esteja equipado para a era digital. 


6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Seria o Fim da Centrais?

Fragmentação de centrais cria silos hospitalares e torna o investimento em tecnologia insustentável. A evolução tecnológica no setor de saúde traz consigo também uma bandeira vermelha sobre o fim da l

Comentários


bottom of page